Archive for maio 14th, 2021

Isolamento eleva em 200% a violência sexual contra crianças e adolescentes no RN, alerta especialista

Violência contra crianças e jovens: atendimento especializado pode mudar  essa realidade
Foto da Internet

O Saiba Mais – Agência de Reportagem, destaca que o isolamento social como medida preventiva tem sido apontado por especialistas da saúde no mundo inteiro como a estratégia mais responsável para diminuir a propagação da doença respiratória causada pelo novo coronavírus. Mas para muitas crianças e adolescentes em situação de violência sexual, a quarentena pode levar a convivência por mais tempo do que o comum com o agressor, o que fez aumentar o número de casos no estado. Dados do Dossiê Infâncias Violada apontam crescimento de 200% de estupros a vulneráveis este ano no Rio Grande do Norte com o agravamento da pandemia. Os números foram apresentados pela advogada da Casa Renascer, Jéssyka Basílio, em entrevista ao programa Balbúrdia nessa quinta-feira, 13.

O Saiba Mais ainda destaca com as palavras da especialistas, que o documento elaborado pelo Centro de Defesa de Direitos da Criança e do Adolescente (CEDECA) Casa Renascer está em fase de finalização e será apresentado à sociedade potiguar neste mês, quando se destaca o combate ao abuso de crianças e adolescentes com o Maio Laranja. “Um assunto que a gente precisa pautar porque muitas vezes é invisibilizado”, afirmou Jéssyka.

BG

Moradores em rua de Petrópolis reclamam de ambiente favorável para proliferação da dengue em condomínio

Foto: Cedida

Moradores na rua Cláudio Machado, no bairro de Petrópolis, na Zona Leste de Natal, enviaram ao Blog imagem de um ambiente em que consideram favorável a proliferação de mosquitos, como a dengue.  Risco de foco fica localizado no edifício Ruy Marinho, praticamente na frente da maternidade Januário Cicco.

Moradores reclamam que já alertaram algumas vezes ao condomínio a atenção ao ambiente, mas nada teria sido resolvido. Agora, já relatam presença de mosquitos na rua.

BG

Ana Paula: Gerente da Pfizer pôs prego no caixão da CPI, que começa a virar arma para reeleger Bolsonaro

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é 51175668787_d4ec977ca0_k.jpg
Gerente-geral da Pfizer na América Latina falou à CPI da Covid-19

Em depoimento à CPI da Covid-19 no Senado nesta quinta-feira, 13, o gerente geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, afirmou que em 2020 a empresa fez ao Brasil oferta de doses de vacina contra o novo coronavírus, que foram todas ignoradas. O executivo da farmacêutica também foi questionado sobre o registro definitivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o imunizante. “Foi um dos primeiros países do mundo a ter o registro permanente. Não tivemos dificuldade com o processo da Anvisa”, esclareceu. O tom pautado pelo relator Renan Calheiros (MDB) na conversa desta quinta foi mais ameno do que o dos questionamentos aplicados ao ex-chefe da Secretaria de Comunicação do governo, Fábio Wajngarten, que chegou a ser ameaçado de prisão. Mesmo assim, a Advocacia-geral da União enviou hoje um habeas corpus ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir que o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, permaneça em silêncio durante o depoimento que prestará na próxima semana.

A comentarista do programa “Os Pingos nos Is”, da Jovem Pan, Ana Paula Henkel, acredita que a comissão não está causando ao relator e à oposição o efeito que eles desejavam contra o presidente. “De circo, a CPI começa a se tornar uma arma na campanha de reeleição do presidente Jair Bolsonaro, porque chamam ex-ministros e agora esse depoimento aí do gerente-geral da Pfizer foi mais um prego nesse caixão”, afirmou. Ela afirmou que analisou o comportamento da mesa ao longo de toda a sessão e percebeu uma espécie de “manipulação” nas perguntas feitas a Carlos Murillo. “Eu percebi que em algumas respostas o próprio relator Renan Calheiros cortava o depoente antes dele concluir a resposta e em várias situações ele continuava perguntando perguntas similares para aquelas respostas que não atingiam o objetivo do relator e do presidente dessa CPI”, disse, lembrando que, nesta quinta-feira, o representante da Pfizer desmentiu a afirmação do ex-ministro Luiz Henrique Mandetta de que o país poderia ter vacinas em novembro de 2020.

Jovem Pan

Polícia Militar apreende mais de 650 kg de maconha em Mossoró

Mais de 650 kg de maconha apreendidos nesta sexta-feira (14) em Mossoró, no Oeste potiguar — Foto: Isaiana Santos/Inter TV Costa Branca
Mais de 650 kg de maconha apreendidos nesta sexta-feira (14) em Mossoró, no Oeste potiguar — Foto: Isaiana Santos/Inter TV Costa Branca

Uma operação da Polícia Militar resultou na apreensão de 658 quilos de maconha que estavam dentro de uma casa em Mossoró, na manhã desta sexta-feira (14). Nenhum suspeito foi preso no local. Segundo a PM, essa foi a maior apreensão de droga feita pela corporação, no estado, em 2021.

O major Emerson Mendes, comandante do 12º Batalhão da PM, afirmou que a polícia já tinha recebido denúncias de movimentação suspeita no imóvel localizado na rua Maria de Lourdes Medeiros, no bairro Alameda dos Cajueiros. Apesar disso, segundo ele, as rondas à região nunca tinham resultado em apreensões.

Nesta sexta-feira (14), os policiais se depararam com um homem que estava na frente do imóvel, com uma sacola escura. Quando viu os policiais, o suspeito correu e conseguiu fugir, deixando o pacote para trás.

Os policiais, acharam droga dentro da sacola e fizeram um cerco ao imóvel, mas não encontraram outras pessoas lá dentro. A droga estava guardada no local. Na casa, não havia móveis, nem sinal de que era usado para moradia. Uma balança também foi encontrada no local.

“Pela quantidade, acreditamos que essa droga seria usada para abastecer Mossoró e região. Ao longo desse ano já apreendemos quase 750 kg de droga. Essa foi a maior apreensão”, afirmou o major.

G1RN

Hermano Morais quer regulamentação do retorno das atividades do setor de eventos

O deputado Hermano Morais (PSB) defendeu esta manhã (13), na sessão da Assembleia Legislativa, a liberação imediata das atividades presenciais do setor de eventos, que no seu entender não foi resolvido no decreto governamental 32.562/2021 publicado no Diário Oficial do Estado do dia 12, contendo as medidas de segurança para a flexibilização de horário do comércio, turismo e educação.

“O setor de eventos não foi esquecido, mas a questão não foi resolvida. O decreto faz referência a autorização para a realização de eventos corporativos, técnicos, científicos, culturais, artísticos, sociais, comemorativos e afins, após um plano específico de retomada gradual. As empresas elaboraram um protocolo de segurança que já foi entregue ao Governo estadual e a administração de Natal. O que peço à governadora do Estado e ao Prefeito de Natal é a pressa na regulamentação dessas atividades, para a sobrevivência dos trabalhadores e trabalhadoras do setor”, disse Hermano.

O parlamentar ressaltou que há uma expectativa muito grande dos empresários e todos os operadores para o retorno das atividades e que no setor, que tem um compromisso social, está havendo um desemprego muito grande.

“Fiz elogio ao governo pela preocupação com a questão sanitária em função dessa Pandemia, que infelizmente ainda perdura e vai perdurar durante algum tempo em função das vacinas, que esperamos que chegue logo para todos. No entanto, o setor de eventos, repito não pode mais tardar ao retorno das atividades”, concluiu o deputado Hermano. 

Em mais um dia de chuva, ruas de Natal ficam alagadas e moradores enfrentam transtornos

Morador usa colchão para atravessar alagamento no bairro Planalto, em Natal — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi
Morador usa colchão para atravessar alagamento no bairro Planalto, em Natal — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi

As chuvas que caem em Natal na manhã desta sexta-feira (14) voltaram a causar alagamentos em ruas da capital, segundo registrou a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana.

O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) registrou 51.98 milímetros de chuva em 24 horas, até por volta das 7h30. Em 48 horas, somando com a água que caiu desde a quarta-feira (12), a capital já registra 114.1 mm de chuvas.

Até o início da manhã, a Defesa Civil da capital seguia monitorando pontos críticos, mas não havia recebido nenhum chamado.

No bairro Planalto, a água voltou a alagar a avenida Antônio Ferreira de Lemos e ruas adjacentes, como a travessa Engenheiro Marcos Augusto, que já havia apresentado o mesmo problema nesta quinta (13).

G1RN