Archive for maio 10th, 2021

Relatório detalha fichas criminais de mortos no Jacarezinho: tráfico, posse e uso de drogas, furto, roubo, porte ilegal de armas, ameaça e lesão corporal

Foto: reprodução/TV Globo

Um relatório da Subsecretaria de Inteligência (SSinte) da Polícia Civil do Rio de Janeiro detalha as fichas criminais de 25 dos 27 suspeitos mortos no Jacarezinho, favela na Zona Norte do Rio. Os outros dois que não tinham anotações de crimes tinham envolvimento com o tráfico confirmado em depoimento por parentes. Um deles era menor de idade.

Na semana passada, ao divulgar informações sobre a operação, a polícia havia dito que todos os mortos na operação mais letal da história do estado tinham antecedentes criminais e que entraram em confronto com os agentes.

Detalhamento dos crimes

O documento aponta que 12 deles tinham envolvimento com o tráfico de drogas no Jacarezinho.

Outros 12 tinham registros por outros crimes, como posse e uso de drogas, furto, roubo, porte ilegal de armas, ameaça e lesão corporal. Um foi fichado por desacato.

Dos 12 mortos sem denúncia de envolvimento com o tráfico, a polícia afirma que, em três casos, parentes confirmaram em depoimento a ligação deles com facções criminosas.

No caso dos outros nove, a polícia justificou o envolvimento deles com o tráfico a partir de fotos e mensagens publicadas em redes sociais.

O relatório traz, ainda, fotos dos mortos retiradas de redes sociais. Em muitas, eles aparecem portando armas.

G1

Juiz volta atrás e autoriza Prefeitura de Natal a colocar a Ivermectina no protocolo para pacientes com Covid-19

Mesmo após recomendação contrária de associação médica, Natal mantém distribuição de remédio sem eficácia contra a Covid — Foto: Hugo Mendes/RPC
Mesmo após recomendação contrária de associação médica, Natal mantém distribuição de remédio sem eficácia contra a Covid — Foto: Hugo Mendes/RPC

O juiz Cícero Martins de Macedo Filho, da 4ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Natal, voltou atrás na decisão que mandava retirar a Ivermectina do protocolo de tratamento de pacientes da Covid-19 na capital potiguar. A decisão inicial havia sido publicado na sexta-feira (7) após ação movida pelo senador Jean Paul, líder da minoria no Senado.

O documento citava que o o medicamento deveria ser tirado do protocolo de tratamento, mas poderia ser distribuído pelo município e prescrito pelo médico, respeitando a autonomia.

Após um pedido de liminar da Prefeitura de Natal, o juiz entendeu que o trecho era contraditório. “Alega o ente público que existe uma contradição na decisão deste julgador, consistente no seguinte: a decisão permitiu a disponibilização do medicamento Ivermectina pelo Município de Natal quando prescrito por médicos, em respeito à autonomia desses profissionais da saúde, mas, por outro lado, retirou o remédio do protocolo, obscurecendo o deve de transparência do Poder Público”, cita o documento.

G1RN

Eudiane Macedo solicita reforma do alojamento de Batalhão da PM em Natal

Reformar as instalações do alojamento do 4º Batalhão da Polícia Militar, localizado no Conjunto Gramoré, bairro Lagoa Azul, Zona Norte de Natal. Esse foi o teor do requerimento protocolado pela deputada Eudiane Macedo (Republicanos), na Assembleia Legislativa do RN.
 
“O documento objetiva sensibilizar a chefe do Executivo e outras autoridades competentes, para que tomem providências e amenizem os problemas relacionados à atual situação das instalações do alojamento do referido batalhão”, explicou a parlamentar.
 
O requerimento será encaminhado à governadora Fátima Bezerra (PT) e ao Comandante Geral da PM do Rio Grande do Norte, Coronel Alarico.

Pesquisa chinesa aponta Coronavírus como arma biológica


A apresentadora do jornal australiano Sky News, Sharri Markson, neste domingo (9), anunciou detalhes “assustadores” de um documento produzido por cientistas militares chineses, no qual discutiram como o coronavírus poderia ser usado como arma biológica. O documento foi elaborado cinco anos antes da pandemia da Covid-19.

Os documentos descrevem o vírus chinês como o prenúncio de uma “nova era de armas genéticas” e afirmam que poderia ser “manipulado artificialmente em uma doença humana emergente de um vírus, então transformados em armas e liberados de uma forma nunca vista antes.”
O artigo em chinês é chamado de “A origem não-natural da SARS e das novas espécies de vírus sintéticos como armas biológicas genéticas”. Um dos autores do documento é o ex-vice-diretor do Bureau de Prevenção de Epidemias da China, Lee Feng.
Uma parte do documento diz: “Por exemplo, a recém-descoberta capacidade de congelar e secar microrganismos tornou possível armazenar agentes biológicos e pulverizá-los durante os ataques.”
E continua dizendo: “Os ataques com armas biológicas são mais bem conduzidos durante o amanhecer, crepúsculo, noite ou tempo nublado, porque a luz solar intensa pode danificar os patógenos.”
Mas, em outro parágrafo, o documento diz: “Os principais impactos incluem uma enorme carga no sistema de saúde. Os ataques com armas biológicas têm um efeito muito mais prolongado do que os ataques convencionais, como a explosão. Também pode levar a doenças contagiosas que podem ser transmitidas por vários meios.”
“As armas biológicas não só causarão morbidez generalizada e mortes em massa, mas também induzirão uma pressão psicológica formidável que pode afetar a eficácia do combate”, completou o documento.
O documento continuou afirmando: “Assim como em outros desastres, as pessoas viverão com medo de ataques por um período considerável de tempo após um ataque, causando danos psicológicos breves ou duradouros entre alguns.”
“O documento também fala sobre o terror psicológico que as bioarmas podem causar, é assustador”, disse Markson. “Para ser clara, embora as agências de inteligência suspeitem, e estão investigando isso desde o início do ano passado, que a Covid-19 pode ser o resultado de um vazamento acidental de um laboratório de Wuhan, não há sugestão de que foi uma liberação intencional.”
“O significado deste artigo é que ele oferece uma visão rara de como os cientistas de uma das universidades militares mais proeminentes do Exército de Libertação do Povo, onde altos níveis de pesquisa de defesa foram conduzidos, estavam pensando sobre arma biológica”, apontou a jornalista.


Terça Livre

Presidente da Assembleia se reúne com representantes dos setores de turismo e eventos

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ezequiel Ferreira (PSDB), recebeu uma comitiva formada por representantes de entidades ligadas ao setor de turismo e eventos. Na pauta, um pedido de socorro dos setores ao presidente do Legislativo Potiguar.

“O nosso pedido é que Ezequiel seja uma força, seja nosso representante junto ao Governo do Estado para superarmos a maior crise da história do turismo do RN”, disse George Gosson, presidente do Natal Convention Bureau.

De prontidão, Ezequiel se colocou à disposição para somar forças aos setores que são formados por mil empresas abertas, que geram mais de 20 mil empregos diretos e que com a pandemia do novo coronavírus registraram uma queda em sua força de trabalho de aproximadamente 40%.

“Os setores têm o meu apoio irrestrito. Desde já me coloco à disposição para buscar soluções para essa problemática. O que estiver ao nosso alcance, será feito. A primeira coisa que farei é fazer contato com a governadora para que possamos marcar uma reunião com representantes dos setores nos próximos dias”, enfatizou.

Durante a reunião, os representantes dos setores entregaram ao presidente da Assembleia um documento contendo várias reivindicações, com destaque para sete pontos primordiais que são: Implementar  o Auxílio Emergencial para trabalhadores do setor; tornar permanente a redução do ICMS e energia de 25% para 12%; reduzir as tarifas de água e esgoto; implementar o exemplo de isenção do ProGás; reduzir ICMS para compras de equipamentos para bares e restaurantes; isentar o ICMS do ano de 2021 para compras de veículos e alterar a legislação ambiental possibilitando a chegada de novos empreendimentos do setor no Estado.

“São reivindicações simples, mas que representam a sobrevivência do turismo e dos eventos do nosso Estado”, comentou Abdon Gosson, Presidente da Associação Brasileira da Industria de Hotéis do RN.

Participaram da reunião George Gosson –  presidente do Natal Convention Bureau;  Abdon Gosson –  Presidente da Associação Brasileira da Industria de Hotéis do RN; George Costa –  Presidente da Câmara de Turismo da Fecomércio; Habib Chalita – Presidente do Sindicato dos Bares, Restaurantes, Hotéis e Similares; Júnior Lima – Presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do RN; Francisco Câmara Junior – Presidente do Sindicato das Empresas de Turismo do RN; Paolo Passariello – Presidente da ABRASEL/RN; Bruno Giovanni – Diretor da Tv Assembleia.

“Saímos dessa reunião muito satisfeitos com o apoio irrestrito do presidente da Assembleia Ezequiel Ferreira, que se somou a nossa luta”, resumiu Habib Chalita – Presidente do Sindicato dos Bares, Restaurantes, Hotéis e Similares.

Detran leiloa veículos apreendidos em ações de fiscalização e abre visitação pública a lotes no RN

Detran leiloa veículos apreendidos em ações de fiscalização e abre visitação pública a lotes no RN — Foto: Detran/Divulgação
Detran leiloa veículos apreendidos em ações de fiscalização e abre visitação pública a lotes no RN — Foto: Detran/Divulgação

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) leiloa na próxima quinta-feira (13), 206 lotes de veículos que foram apreendidos nas ações de fiscalização do órgão. Os lotes estão retidos nos pátios do Detran, situados em Natal, Mossoró, Assú e Pau do Ferros e possuem veículos que vão continuar em circulação e outros destinados exclusivamente à sucata.

Os interessados podem visitar os lotes nesta terça-feira (11) e quarta-feira (12), das 8h às 12h, nos seguintes endereços:

  • Pátios do 10º BPM, na Rua João Celso Filho, em Assú/RN;
  • 2º DPRE, na RN 117 (Caminho de Dix Sept Rosado) ou na Av. Lauro Monte, Abolição, ambos em Mossoró/RN;
  • 4º DPRE, na Rua da Independência (BR 405), em Pau dos Ferros/RN;
  • Pátio do Detran (antigo Guanabara), na Rua Bom Pastor, 1222, Quintas, em Natal.

O leilão acontece exclusivamente online na quinta-feira (13), a partir das 10h. Os interessados em participar do leilão devem se cadastrar na plataforma online.

Os editais e todas as informações do leilão, inclusive a relação completa dos carros e motocicletas com imagens e as especificações de marca, placa, ano de fabricação e valor inicial do bem podem ser conferidas clicando no link: AQUI e AQUI.

G1RN

Francisco do PT sugere instituir o Programa Prato Solidário RN

O deputado Francisco do PT protocolou, na Assembleia Legislativa do RN, Projeto de Lei que institui o Programa Estadual de Arrecadação e Doação de Alimentos (Prato Solidário RN). O objetivo principal é definir procedimentos para que o Poder Executivo possa fortalecer o serviço de captação e/ou recepção e distribuição gratuita de gêneros alimentícios.
 
“A crise que assola nosso País já levou milhares de vidas brasileiras à morte, vítimas da Covid-19. Além disso, temos visto crescer cada vez mais o preço do botijão de gás, da energia, dos alimentos, materiais de higiene e tantos outros itens e serviços do nosso cotidiano. Não apenas a doença nos mata, mas a fome e o desemprego levam o povo a essa situação. Na última semana, nós do PT iniciamos um processo de solidariedade para juntar forças contra a fome. A campanha ‘PT Solidário’ aconteceu em todo o Brasil, e esse PL é mais uma medida de combate a esse mal que devasta nossa sociedade”, justificou Francisco.
 
Segundo o parlamentar, os alimentos relativos ao Programa Prato Solidário serão oriundos de doações dos setores privados e/ou públicos, sendo destinados às instituições sociais, filantrópicas, organizações da sociedade civil ou órgãos públicos que atendam a pessoas em situação de extrema vulnerabilidade social.
 
De acordo com a redação da futura norma, o programa tem entre seus princípios: a efetivação dos direitos sociais e da dignidade da pessoa humana; a regularidade no direito e no acesso à alimentação com qualidade e em quantidade suficiente, em consonância com a Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU); e a redução do desperdício de alimentos e da fome.
 
Ainda conforme o texto do projeto, com o intuito de operacionalizar o programa, o Executivo Estadual poderá criar um aplicativo para smartphones, o qual servirá de ferramenta virtual para conectar a oferta e a demanda de alimentos.
 
“A partir da criação do aplicativo, todas as pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, organizações da sociedade civil, entidades religiosas, educacionais e sociais que atuam no Estado poderão se cadastrar no aplicativo como doadores ou recebedores”, explicou o deputado.
 
Também será constituído um Comitê Gestor para o programa, que terá a atribuição de planejar e articular seus componentes, bem como fiscalizar e monitorar a sua execução. O comitê será composto de profissionais das áreas de assistência social, segurança alimentar e nutricional, direitos humanos, planejamento, saúde, educação e meio ambiente e urbanismo.
 
“Portanto, faz-se urgente continuar na resistência em busca de políticas públicas estruturantes e inclusivas para todos/as. Em razão disso, estamos apresentando esse Projeto de Lei, objetivando institucionalizar e disciplinar, no âmbito do Estado, um programa de arrecadação e doação de alimentos”, concluiu Francisco do PT.

Três pacientes são transferidos após falta de energia em UPA na Zona Norte de Natal

UPA Pajuçara estava com atendimento normalizado na manhã deste domingo (9) — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi
UPA Pajuçara estava com atendimento normalizado na manhã deste domingo (9) — Foto: Lucas Cortez/Inter TV Cabugi

Uma queda de energia afetou o atendimento da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Pajuçara, na Zona Norte de Natal, na noite deste sábado (8). Três pacientes precisaram ser transferidos da unidade, segundo a Secretaria Municipal de Saúde. O problema foi resolvido e o atendimento foi normalizado durante a madrugada deste domingo (9).

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que houve um problema na rede elétrica da UPA. O gerador de energia funcionou normalmente durante a queda do sistema, porém ele abrange apenas áreas essenciais. Por isso pacientes foram transferidos para outras unidades municipais.

O atendimento ficou restrito durante o período, seguindo um protocolo que existe para esses casos, segundo a pasta.

Em nota, a Companhia de Energia do Rio Grande do Norte (Cosern) informou que a interrupção momentânea no fornecimento de energia elétrica registada na UPA Pajuçara foi causada por um defeito interno em um transformador de propriedade do município. O transformador foi consertado com auxílio de uma equipe da Cosern, que esteve no local entre 18h50 e 19h50.

Segundo um servidor, que pediu para não ser identificado, o gerador manteve iluminado o corredor principal e a sala vermelha, onde ficam os pacientes intubados. Porém, o problema seria rotineiro na unidade, com quedas de energias, curtos, e até fumaça saindo de tomadas.

De acordo com ele, a energia se restabeleceu à 20h. “Porém a noite toda ficou tendo umas quedas rápidas, como se fosse a luz falhando”, apontou.

G1RN

Ministérios Públicos e Defensoria Pública exigem solução para falta de segundas doses da Coronavac no RN

Mais de 350 mil pessoas esperam segunda dose da Coronavac no Rio de Janeiro
Foto da Internt

O Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público do Trabalho (MPT), o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e a Defensoria Pública Estadual (DPE/RN) seguem postulando uma solução que permita concluir o quanto antes a imunização dos já mais de 87 mil potiguares que estão com a segunda dose (D2) da Coronavac em atraso, número que não para de crescer.

Em audiência realizada na última sexta-feira (7), na Justiça Federal, o Ministério da Saúde não se comprometeu a acelerar a entrega dessas doses, prometendo apenas realizar, até a próxima terça-feira (11), estudos sobre possíveis permutas ou remanejamento com outros estados, que permitiriam o acréscimo de doses da Coronavac para o RN. O juiz federal Janílson Bezerra acatou o prazo pedido pelo Ministério da Saúde, mas os autores da ação civil pública (ACP) reforçaram a necessidade de concessão imediata da medida judicial liminar requerida para garantia do direito.

A ACP ajuizada pelas quatro instituições – contra a União, Governo do Estado e Prefeitura do Natal – tem como objetivo assegurar a aplicação da segunda dose de Coronavac nos cidadãos potiguares que já receberam a primeira (D1) há mais de 28 dias. A pendência decorre, inclusive, de uma orientação do próprio Ministério da Saúde para que se aplicasse como D1 parte das vacinas que deveriam ter sido guardadas para concluir a imunização.

Na audiência, os representantes do MPF, procuradores da República Victor Mariz e Cibele Benevides, destacaram que cabe ao Ministério da Saúde, em vez de avançar com a distribuição de doses D1 nos estados, solucionar o atraso daqueles que já aguardam a D2 há mais tempo do que o previsto no plano de imunização.

“A situação do Rio Grande do Norte é alarmante”, ressaltou Victor Mariz, apontando que a prioridade não traria prejuízos futuros, uma vez que as doses a mais que viessem a ser destinadas para o Rio Grande do Norte, com vistas a concluir a imunização dessas 87 mil pessoas, poderiam ser compensadas para os demais estados em remessas posteriores.

Já Cibele Benevides alertou do perigo que é a vacinação incompleta de um grupo tão grande de pessoas, tendo em vista não só o risco à saúde delas (uma vez que a vacina foi projetada e aprovada para ser aplicada em duas doses com um intervalo máximo de 28 dias), como também à sociedade em geral, já que a imunização parcial pode contribuir para o surgimento de novas cepas do vírus da covid-19, tornando a pandemia ainda mais difícil de ser debelada.

Os autores da ação também frisaram, na audiência, que o Ministério da Saúde poderia, ao invés de destinar doses de Coronavac para aplicação como D1 para estados que não vivenciam o problema, enviar para esses estados, por compensação, doses de D1 de outros tipos de imunizantes, adotando-se todas as medidas necessárias para, primeiro, garantir a aplicação da D2 e a completude do esquema vacinal. Manifestaram-se pelo Ministério Público Estadual, a Promotora de Justiça Raquel Batista, pela Defensoria Pública, a Defensora Cláudia Carvalho Queiroz, e pelo Ministério Público do Trabalho, o Procurador Regional do Trabalho Xisto Tiago de Medeiros.

Distribuição – Falando em nome do Ministério da Saúde, a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), Francieli Fontana, apontou que 21 estados vêm atravessando problemas semelhantes que para serem solucionados demandam 2,3 milhões de D2s. Ela afirmou não haver garantia de que o RN poderá receber as 87 mil doses na primeira quinzena deste mês de maio, comprometendo-se apenas a remeter aos potiguares 15 mil de cada 1 milhão de doses fornecidas pelo Butantan (mesma parcela que já vem sendo entregue desde o início da distribuição, tendo como base a população, que no caso do RN representa em torno de 1,5% da do país).

O secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, enfatizou que o problema não decorre somente de falhas na aplicação das vacinas por parte dos municípios, uma vez que o Ministério da Saúde deixou de remeter 28 mil doses D2 que caberiam ao estado (além de 1.500 doses para a população indígena, que ainda não chegaram). A coordenadora do PNI se comprometeu a conferir esses números.

Ação – Na ACP, os procuradores da República, do Trabalho, promotores de Justiça e defensora pública enfatizam que a situação tem gerado “um ambiente de insegurança e até de desespero na população que ainda não completou o seu calendário vacinal” e apontam “a possibilidade do surgimento de mutações virais com cepas mais resistentes do novo coronavírus quando não se perfectibiliza o ciclo vacinal”.

Com a aplicação da D2 já interrompida várias vezes em Natal (onde estão aproximadamente 45 mil das 87 mil pessoas que esperam a segunda dose da Coronavac há mais de 28 dias), a ação pede que o município seja obrigado a aplicar exclusivamente a D2 até que, no mínimo, 85% das pessoas que receberam a D1 tenham o ciclo completado. Já o governo do RN deverá monitorar a oferta de vacinas e assessorar os municípios. Quando necessário, a reserva técnica estadual deve ser disponibilizada para evitar novos atrasos.

A ação tramita na 4ª Vara da Justiça Federal sob o número 0802923-72.2021.4.05.8400 e requer da União o incremento ou exclusividade de doses de Coronovac para o RN nas próximas remessas, ou por antecipação, para atendimento à demanda de D2. A União também deve adotar a obrigatoriedade de reserva de segunda dose para todos os já contemplados com a primeira ou, alternativamente, criar um fundo de vacinas para casos como o do RN.