Roberto Jefferson espera relaxamento de prisão ilegal, ministro Alexandre de Moraes do STF pode responder por homicídio em caso de morte do idoso na prisão

Perfil de Roberto Jefferson no Twitter sai do ar | Tecnologia | G1
Foto da Internet

O Brasil e o mundo sabe que a prisão determinada de ofício pelo ministro do STF Alexandre de Moraes contra o presidente do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson, é extremamente ilegal. Até porque não houve o fato típico, houve apenas uma fala, possivelmente uma ameaça, o que deveria ser visto, antes da prisão, pelo Ministério Público competente, ademais, o juízo natural da causa seria o da primeira instância, pois o Roberto Jefferson não goza de foro privilegiado para receber decisão contra a sua liberdade por parte do STF.

Neste caso, o ministro Alexandre de Moraes pode está pratricando o crime de abuso de autoridade contra o seu desafeto, já que Roberto Jefferson o atacou nas entrevista que deu por diversas vezes. Mas segundo a mioria dos jurista, entre eles o Dr. Ives Gandra, eram apenas desabafos políticos.

Percebemos que decisões do ministro Alexandre Moraes tem indícios de tribunal de exceção.

O Roberto Jefferson é um homem idoso, impetuoso, mais ainda assim deve gozar do direito dado aos idosos, estando doente, com a vida em risco em uma prisão ilegal por mais de dez dias pode que pode o vitimar, ou por assassinato ou por morte – aparentimente – natural por causa de suas muitas doenças.

Observando pelos preceitos legais e constitucionais, caso esse mal aconteça o ministro Alexandre de Moraes poderá responder por cirme de homicídio, pois dolosamente mantem o seu desafeto preso por prazer.

O Procurador Geral da República, a princípio, foi contra a referida prisão, mas por precisar dos votos de alguns senadores, alguns até com crimes de corrupção em processo, pode fazer a PGR mudar de ideia, o que piora as condições do judiária no Brasil.

Tudo isso precisa mudar para que possamos viver uma real democracia. As formas que hoje são escolhidos os parlamentares federais, a Porcuradoria Geral da República e os ministros do STF e TSJ, também os demais órgãos do poder judiciário só contribui para as trocas de favores, o que pode alimentar a atual corrupção.

O Brasil precisa de muitas mudanças.

Leave a Comment