RN: Prefeito de São Gonçalo reclama de Fátima Bezerra – ‘estamos sós’

O prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulo Emídio de Medeiros, usou as redes sociais nesta segunda-feira (25) para cobrar ajuda do Governo do Estado para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus no município. Em um desabafo publicado no Facebook, o prefeito disse que São Gonçalo “necessita da devida atenção” da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).
“Sendo a quarta maior cidade do RN, com mais de 100 mil habitantes, São Gonçalo do Amarante não tem qualquer ajuda financeira do Estado para a saúde do município nem há, aqui, nenhuma estrutura de saúde do Estado como tem Macaíba, Parnamirim e várias outras cidades menores”, escreveu Paulo Emídio, que é mais conhecido como Paulinho.
O gestor municipal criticou o fato de a Sesap não ter incluído São Gonçalo do Amarante na lista das cidades que serão beneficiadas com os respiradores pulmonares enviados pelo governo federal para o Rio Grande do Norte. Nesta segunda, o governo Fátima anunciou o recebimento de 120 equipamentos, sendo 80 para o Estado e 40 específicos para o município de Natal.
Dos 80 respiradores enviados para o Governo do Estado, 40 já chegaram, segundo o governo. Desse total, 20 – que são mais complexos – começaram a ser distribuídos para hospitais estaduais de Natal, Mossoró e da região Seridó. “Os respiradores mais simples ainda estão sendo destinados. A Sesap aguarda ainda a chegada de mais 40 respiradores prometidos para esta terça-feira (26), para então anunciar o direcionamento destes”, informou o governo estadual.
Paulo Emídio ressaltou que, desde o início da pandemia, São Gonçalo recebeu apenas dois respiradores pulmonares do governo estadual e que eles foram remanejados do Hospital Walfredo Gurgel, na capital. “(Os equipamentos) não são suficientes, nem de longe, para nossa necessidade”, escreveu.
Segundo o prefeito, a gestão municipal “tem ido além das suas possibilidades”. Ele ressaltou que, para enfrentar o coronavírus, a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante contratou 38 médicos, montou um centro de pediatria para evitar o contato de crianças com a Covid-19 nas unidades já existentes e distribuiu equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde e a população em geral.
“Mas a verdade é que estamos sós diante de uma situação em que deveríamos estar, mais do que nunca, de mãos dadas”, reclamou Paulo Emídio.
O prefeito de São Gonçalo cobrou do governo Fátima, ainda, a parceria que foi prometida para a montagem no município de um hospital de campanha. “Não temos qualquer posição até agora a não ser visitas e mais visitas da Sesap”.
“São Gonçalo do Amarante clama por ações concretas por parte das autoridades estaduais e nacionais de saúde. Pessoas estão morrendo a cada dia. Mesmo em meio a uma pandemia e com as limitações que existem, podemos enfrentar melhor a situação se tivermos equilíbrio no direcionamento dos esforços e na divisão das tarefas e das responsabilidades. Com diálogo e com assertividade nos compromissos”, finalizou o prefeito.
De acordo com o último boletim epidemiológico da Sesap, divulgado na segunda, São Gonçalo do Amarante tem 142 casos confirmados de coronavírus, com 12 óbitos.
Agora RN