Prevenção é a palavra de ordem contra COVID-19 para deputados estaduais

Crédito da Foto: João Gilberto

Durante a Sessão Plenária desta quarta-feira (24), no horário destinado aos deputados, foram discutidos assuntos de ordem da Saúde, Infraestrutura e Educação. Com relação à pandemia, voltou-se a falar da importância da prevenção na luta contra a COVID-19. Primeiro a discursar, Vivaldo Costa (PSD) falou da importância dos cuidados preventivos no combate à pandemia do novo Coronavírus.

“Sou médico há muitos anos, fui assistente da Dra. Giselda Trigueiro e acredito na Ciência, na OMS, na Anvisa. E o que diz a OMS? Ela diz que, comprovadamente, existem dois medicamentos que ajudam no enfrentamento à COVID-19: a Dexametasona e o oxigênio”, explicou.  Segundo o deputado, enquanto as vacinas não chegam para todos os brasileiros, devemos evitar aglomerações. 

“Nós já tivemos mais de 500 mil mortes nos Estados Unidos, país de Primeiro Mundo, e mais de 200 mil aqui no Brasil. Precisamos lembrar que o vírus penetra no organismo através de nariz, boca e olhos. Por isso a importância da máscara. Além disso, de vez em quando, é necessário lavar as mãos com água e sabão ou utilizar o álcool em gel”, destacou. O parlamentar disse ainda que os cientistas recomendam beber muita água, comer frutas, verduras e legumes, a fim de aumentar as defesas do organismo. 

“E outra coisa importante é que, hoje, o novo coronavírus está contaminando as pessoas dentro de suas residências. Portanto, mesmo em casa, os cuidados devem existir, para que possamos combater essa segunda onda, que está amedrontando toda a população. Não temos mais médicos, não temos UTI, não temos leitos. Portanto, a prevenção é extremamente relevante”, finalizou.

Na sequência, Souza (PSB) abordou a precariedade da RN-404, que liga a comunidade de Ponta do Mel, em Areia Branca, ao município de Porto do Mangue, na região da Costa Branca Potiguar. “Primeiramente, é importante dizer que essa estrada possui uma das melhores visões da Costa Branca, por todas as belezas naturais que ali temos, mas está havendo muitos transtornos, por conta do avanço das dunas. Eu fiz uma audiência pública para discutir as alternativas, porque como a estrada é pela praia, a ideia é que ela continuasse pela praia, a partir da comunidade do Rosado”, detalhou.

Mas, de acordo com o parlamentar, o Idema não aceitou a alternativa, preferindo levar a estrada mais para o interior. “O problema é que isso inviabilizaria o contato com os moradores da comunidade do Rosado, e a população não aceita”, disse. Souza falou também que o prefeito tem se esforçado bastante, colocando máquinas para retirar a areia, mas que isso não resolve, porque as dunas estão avançando muito e deixando a estrada praticamente fechada.

Finalizando, o deputado afirmou que o DER e o Idema precisam encontrar alternativas para a solução do problema. “A solução não é simples, mas é preciso encontrá-la. O que não se pode é deixar a população sem acesso numa estrada que é do Estado, porque os moradores não estão exercendo seu direito de ir e vir, que é constitucional”, opinou Souza, informando que hoje se reunirá com o vice-governador para tratar do tema.

Último a discursar no horário dos deputados, Coronel Azevedo (PSC) comentou o ranking divulgado este mês pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), com dados colhidos em 2020, a respeito do ensino a distância no Brasil, por videoconferência, durante a pandemia.

“Eu trago hoje informações muito preocupantes, que apresentam um resultado bastante negativo para o RN. São índices que chegam a ser humilhantes e que, com certeza, deixam a governadora, que é professora, bastante preocupada. A exemplo do que ocorre em outros setores da sociedade, é de calamidade o resultado do Rio Grande do Norte: o nosso Estado obteve a vexatória 23ª posição. A pior do Nordeste. Ficamos à frente apenas de Goiás, Tocantins e Rondônia”, criticou. 

Segundo o parlamentar, a Paraíba liderou o ranking com média 6,02 e o RN obteve 0,81. “Foi um vexame nacional. Nós estamos quase no fim da fila, infelizmente. A Paraíba deu um exemplo de gestão ao nosso Estado, que muitas vezes cria um mundo mágico em suas propagandas, muito distante da realidade”, repreendeu Azevedo. 

Ainda de acordo com o deputado, a FGV observou, como critérios principais, o tamanho da cobertura e a velocidade de implantação da modalidade do ensino remoto para os estudantes de escolas públicas estaduais. Concluindo seu discurso, Coronel Azevedo afirmou que o fato de a governadora ser professora é utilizado, muitas vezes, apenas como peça de marketing. “É preciso que essa realidade seja enfrentada pelo Governo do Estado, junto com toda a sociedade, inclusive este Parlamento, para que possamos retirar o nosso RN dessa colocação vexatória no quesito educação a distância”, finalizou.