Presídios e centros socioeducativo do Ceará somam 2,3 mil casos e seis mortes por Covid-19

A SAP reforça a aplicação do Plano de Ação Contra o Coronavírus, desde março deste ano, que também proporcionou treinamento aos agentes de saúde e policiais penais — Foto: Reprodução/ SAP
A SAP reforça a aplicação do Plano de Ação Contra o Coronavírus, desde março deste ano, que também proporcionou treinamento aos agentes de saúde e policiais penais — Foto: Reprodução/ SAP

Dados divulgados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) nessa quarta-feira (2) apontam que os sistemas penitenciário e socioeducativo do Ceará acumulam 2.303 casos de Covid-19, entre pessoas custodiadas e servidores. Seis delas morreram pela doença.

O último boletim semanal do CNJ teve dados colhidos no último dia 30 de novembro. O G1 verificou a evolução da doença em um mês, ao comparar com o boletim de 26 de outubro deste ano. Confira os dados:

– Sistema penitenciário (26/10 x 30/11)

Presos:

1.188 x 1.342 casos (+ 12,9%)

4 x 4 mortes

Servidores

612 x 640 casos (+ 4,5%)

1 x 1 morte

11.371 x 13.829 testes realizados (21,6%)

– Sistema socioeducativo (26/10 x 30/11)

Adolescentes:

83 casos x 95 casos (+ 14,4%)

0 x 0 morte

Servidores

223 x 226 casos (+ 1,3%)

1 x 1 morte

971 x 1.025 testes realizados (+ 5,5%)

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) acrescenta que, atualmente, 23 detentos estão infectados com Covid-19, todos com quadro leve. E que a população carcerária é de 22.695 internos, o que significa que 5,9% do total foi infectado. Já entre o efetivo de 3.600 policiais penais, 531 contraíram a doença, ou seja, 14,7%.

O presidente do Conselho Penitenciário do Ceará (Copen), advogado Cláudio Justa, analisa que “esses números revelam um êxito no combate à pandemia”.

“Alguns aspectos devem ser considerados. No sistema penitenciário, a grande maioria dos indivíduos está fora dos grupos de risco (para a doença). Aliado a isso, a precocidade da adoção dos protocolos sanitários. E a testagem ampla e precoce, que permitiu fazer um isolamento eficaz, mesmo com escassez de espaço”, analisa.

A SAP reforça, em nota, a aplicação do Plano de Ação Contra o Coronavírus, desde março deste ano, que também proporcionou treinamento aos agentes de saúde e policiais penais; distribuição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e outros materiais de higiene; suspensão das visitas sociais; ampliação do tempo de banho de sol dos detentos; entre outras medidas.

G1CE