Presidente do PSDB defende união entre partidos de centro para viabilizar segundo turno em 2022

Bruno Araújo acredita na construção de uma via unindo João Doria, Simone Tebet, Sergio Moro e o eventual candidato do União Brasil / Valter Campanato/Agência Brasil

Poucos dias após as prévias do PSDB, os tucanos se reuniram no lançamento de um livro do presidente do diretório da sigla em São Paulo, Marco Vinholi. O assunto principal, porém, foi a pré-candidatura de João Doria à Presidência da República. Secretário do governador, Vinholi vê em Doria a figura capaz de unificar o centro. “O governador tem posição, expressa suas posições, mas é um homem de construção, de convergência, de diálogo. Eu entendo que, dentro disso, ele vai conseguir fazer uma convergência distante dos extremos, mas apresentando uma alternativa viável para o país”, apontou o secretário.

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, pregou o diálogo. O tucano defende que partidos de centro devem ter o menor número possível de candidaturas com o objetivo de viabilizar a ida ao segundo turno. “O governador João Doria demonstrou sua capacidade de liderança internamente dentro do processo, e agora vai exercê-la no campo da construção dos partidos de centro, com a senadora Simone Tebet, lançada pelo MDB, com o ex-juiz Sérgio Moro, lançado pelo Podemos, e com as candidaturas que eventualmente possam surgir do União Brasil”, avalia Araújo.

Renovação. Essa é a palavra que define o PSDB para as eleições de 20222. O presidente tucano, Bruno Araújo, acredita que, com a vitória de João Dória nas prévias e o destaque nacional conseguido por Eduardo Leite, é o momento dos tucanos apostarem na juventude. Um desses jovens é Tomás Covas, filho do ex-prefeito Bruno Covas. Com apenas 16 anos, ele participou pela primeira vez de uma disputa de prévias do partido. “Eu acho que, com o Doria possibilitando essa união e formando uma coligação de partidos, o PSDB tem, com certeza, uma grande chance de não se tornar a terceira via, mas a melhor via para assumir o Brasil em 2022”, afirmou Tomás. Apesar das rugas durante as prévias, a cúpula tucana acredita que Doria será capaz de construir pontes e oferecer ao PSDB o melhor cenário possível para 2022.

*Com informações do repórter João Victor Rocha / Jovem Pan