Mourão afirma que reajuste para servidores ‘não tem espaço no orçamento’

WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), afirmou nesta terça, 18, que não há espaço fiscal no orçamento para conceder reajustes salariais a todas as categorias de servidores públicos, e colocou em dúvida os aumentos que o presidente Jair Bolsonaro (PL) prometeu a integrantes das forças de segurança públicas. “Você sabe muito bem que não tem espaço no orçamento para isso, né?”, respondeu Mourão ao ser questionado sobre os reajustes. Servidores realizaram protestos em diversos Estados nesta terça, em uma tentativa de pressionar para que os reajustes ocorram, e ainda preveem a possibilidade de greve no início de fevereiro. Funcionários da Receita Federal e do Banco Central já entregaram os cargos, também em protesto.

Sobre os aumentos prometidos, o vice-presidente evitou confirmar que ocorrerá. “Não sei nem se o presidente vai conceder isso aí. Não sei, vamos aguardar o presidente bater o martelo nisso aí. O espaço orçamentário é muito pequeno, né?”, disse Mourão. O orçamento aprovado no Congresso para 2022 prevê um espaço fiscal de R$1,7 bilhão para reajustes salariais aos funcionários públicos, que Bolsonaro prometeu conceder à Polícia Federal (PF), à Polícia Rodoviária Federal (PRF) e ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Contudo, o reajuste ser concedido apenas a policiais gerou insatisfação de outras categorias, o que fez o presidente considerar a possibilidade de não dar aumentos para nenhuma categoria. Bolsonaro tem até sexta, 21, para sancionar o Orçamento.

Jovem Pan