Ministério da Saúde recomenda afrouxar isolamento em áreas pouco afetadas

 (Buda Mendes/Getty Images)

O Ministério da Saúde do Brasil recomendou, na última segunda-feira (6), que estados e cidades pouco afetados pela pandemia de Covid-19 devem começar a afrouxar suas medidas de isolamento social a partir do dia 13 de abril. As diretrizes desse plano de transição foram divulgadas pelo órgão em boletim epidemiológico.

Atualmente, boa parte do Brasil está sob algum tipo de distanciamento social. O novo documento diz que “os municípios, Distrito Federal e Estados que implementaram medidas de Distanciamento Social Ampliado (DSA), onde o número de casos confirmados não tenha impactado em mais de 50% da capacidade instalada existente antes da pandemia, devem iniciar a transição para Distanciamento Social Seletivo (DSS)”.

Ou seja: regiões em que o sistema de saúde não apresente sinais de lotação devem, segundo o órgão, passar a isolar apenas quem está no grupo de risco – idosos e pessoas com condições pré-existentes – e voltar gradualmente à normalidade. É o chamado isolamento vertical, já defendido anteriormente por Jair Bolsonaro (o presidente, porém, defende a medida para todo o território brasileiro).

Regiões consideradas críticas (que possuem mais casos do que a média nacional) e que o sistema de saúde já enfrenta dificuldades para conter a crise, devem continuam com o distanciamento geral, segundo o Ministério. A ideia é que locais diferentes enfrentam crises diferentes, e que cada um deve tomar a decisão que cause menores danos à saúde da população e também à economia local.

Super.Abril