Médico psiquiatra que atuava na linha de frente contra Covid-19 morre após 13 dias internado em Mossoró

Médico Raimundo Clodovil Cavalcante da Silva, de 52 anos, morreu com Covid-19 em Mossoró — Foto: Cedida

Um dos profissionais que atuaram na linha de frente contra o coronavírus, em Mossoró, no Oeste potiguar, o médico Raimundo Clodovil Cavalcante da Silva, de 52 anos, faleceu com a doença, na noite desta quinta-feira (6), após passar 13 dias internado. Antes do sepultamento, um cortejo passou por algumas das unidades de saúde onde o psiquiatra trabalhava. Colegas fizeram homenagens a ele.

Raimundo Clodovil se formou primeiro em enfermagem e depois em medicina, se especializando em psiquiatria. Segundo a enfermeira Jéssica Saraiva, o profissional atuou na linha de frente contra o coronavírus, trabalhando na Unidade de Pronto-Atendimento do Santo Antonio, no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e no Hospital Regional Tarcísio Maia. O médico também atuava no Hospital Psiquiátrico São Camilo e vinha atendendo pacientes psiquiátricos com Covid-19.

Ele foi internado no dia 24 de julho no Hospital Regional Tarcísio Maia. No dia 27, precisou ser intubado. Com obesidade, Clodovil apresentava problemas principalmente no pulmão. Um pouco mais estável, foi transferido para o Hospital Wilson Rosado na última terça-feira (4), mas não resistiu e faleceu nesta quinta (6), às 20h.

Antes do sepultamento, o cortejo fúnebre passou em frente à UPA do bairro Santo Antonio, na sede do Samu, no Hospital Psiquiátrico São Camilo, no Hospital Regional Tarcísio Maia e na casa da família, recebendo homenagens de amigos, colegas e familiares, que deixaram mensagens e cantaram. “Somos gratos pelo homem que foi e pelo que continuará sendo para nós”, disse uma das colegas.

G1RN