Mais de 650 mil crianças abandonaram a escola durante a pandemia, aponta Inep

Queda de matrículas foi elevada principalmente pela evasão de alunos das creches da rede privada / Pixabay / klimkin

Entre 2019 e 2021, o Brasil perdeu 7,3% de matrículas na educação infantil, aponta o Censo Escolar 2021, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), divulgado nesta segunda-feira, 31. A porcentagem representa 653.499 crianças de até cinco anos que não puderam ir a escola durante a pandemia da Covid-19. O índice interrompe o aumento no número de matrículas do país, que crescia desde 2005. Segundo o estudo, a queda de matrículas foi elevada principalmente pela falta dos alunos das creches da rede privada. O Inep aponta que a redução das matrículas nas creches foi de 9% de 2019 para 2021. Na rede privada, houve queda de 21,6% nesse período, enquanto na rede pública a queda foi de 2,3%. Já na pré-escola, que engloba crianças de 4 e 5 anos de idade, a redução foi de 6%, sendo a queda de 25,6% na rede privada e de 1,3% na pública. A crise financeira fez com que muitas famílias tivessem que tirar os filhos das escolas privadas. Esse resultado faz com que o país se distancie da meta prevista em lei do Plano Nacional de Educação de ter metade das crianças de 0 a 3 anos matriculadas em creches até 2024.

*Com informações do repórter Fernando Martins

Jovem Pan