Líderes parlamentares debatem sobre temas como Petrobras, piso da Educação e transposição

No horário destinado às lideranças, na sessão desta terça-feira (8), na Assembleia Legislativa, o deputado Hermano Morais (PSB) prestou solidariedade ao amigo e companheiro de partido na Casa, deputado Souza (PSB), que anunciou que não será candidato à reeleição.
 
“Um deputado acima das questiúnculas partidárias”, definiu Hermano, prestando homenagem ao político que fez história em 20 anos como vereador, vice-prefeito e prefeito por duas vezes no município de Areia Branca, e deputado estadual no segundo mandato. “Perde o Rio Grande do Norte”, disse Hermano em relação à decisão de Souza.
 
Em seu pronunciamento Hermano Morais também falou sobre a Petrobras e criticou a posição da estatal em relação ao Rio Grande do Norte e disse que iria convidar os representantes da empresa que comprou a Refinaria Clara Camarão para apresentar, na Assembleia, as intenções para o Estado.
 
O deputado Subtenente Eliabe (SDD) fez críticas à governadora Fátima Bezerra (PT), se referindo à posição dela quando parlamentar -deputada federal e senadora – e agora como governadora, em relação ao piso salarial dos professores e à reforma da Previdência. “Ai de um governante que não pagar o piso”, alertou Eliabe, afirmando que protocolou requerimento fazendo cobrança ao Governo.
 
O deputado Ubaldo Fernandes (PL) falou de segurança pública. Cobrou mais ações para o município de Touros, relatando casos de violência na região, citando a praia de Cajueiro. “Está desprovida de segurança maior”, afirmou Ubaldo. O deputado também agradeceu ao secretário da pasta, Coronel Francisco Araújo, por ter atendido pleitos do seu mandato. O parlamentar se referiu a melhorias implantadas nos municípios de Jardim de Piranhas e Jardim do Seridó.
 
Oradora no espaço destinado às lideranças, a deputada Isolda Dantas (PT) relembrou o discurso do colega Subtenente Eliabe, cobrando da governadora Fátima Bezerra o pagamento do piso salarial aos educadores e criticando a reforma previdenciária do Estado, para solicitar ao deputado a mesma posição em relação à Prefeitura de Mossoró. Isolda ressaltou que em Mossoró, a Prefeitura ainda não se pronunciou sobre o piso e encaminha para aprovação, uma reforma previdenciária sem discutir com os sindicatos.
 
A deputada líder do PT chamou atenção para o que entende como ‘desrespeito’ à governadora Fátima Bezerra. “Virou corriqueiro nesta Casa abrirem a boca para dizer que a governadora é mentirosa”, disse a parlamentar, ressaltando que a oposição não tem discurso pesado contra a gestora. “Não dá para ir aos jornais e dizer que o Governo da Professora Fátima é de roubalheira”.
“Se o pau que dá em Chico dá em Francisco, a oposição deve cobrar de seus gestores o pagamento do piso da Educação. Eu estou cobrando da governadora Fátima”, disse o deputado Francisco do PT, líder do Governo na Assembleia Legislativa, ao começar o seu discurso nesta terça-feira. Segundo Francisco, “todo mundo ouviu a mensagem anual da governadora onde ela disse que vai pagar o piso”, afirmou o deputado, ressaltando que as Prefeituras de Natal e de Mossoró devem ser cobradas pela oposição.
 
O deputado ressaltou que o Governo Fátima Bezerra abriu diálogo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação. Para Francisco do PT, os discursos ganham ‘destempero’ em ano eleitoral. Ele aproveitou para falar da chegada das águas da transposição ao Rio Grande do Norte, afirmando que sempre trabalhou para que isso acontecesse, mas que o Rio Grande do Norte deve saber sobre a realidade do projeto. “Não se deve esconder que o homem que teve coragem de tirar o projeto da transposição do papel foi Luiz Inácio Lula da Silva”, encerrou Francisco.