Fóruns se reúnem em campanha pelo Dia Internacional de Não ao Uso de Agrotóxicos

Natal (RN), 02/12/2020 – O Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos (FNCIAT) realiza, nesta quarta-feira (2), reunião por videoconferência que reunirá 30 fóruns estaduais e regionais que atuam na temática, como marco da campanha do Dia Internacional de Não ao Uso de Agrotóxicos, 3 de dezembro. Com o evento, o fórum inicia as atividades alusivas à data com seus parceiros, dentre eles o Fórum Estadual de Combate aos Efeitos dos Agrotóxicos na Saúde do Trabalhador, no Meio Ambiente e na Sociedade (Feceagro-RN), do qual o Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte faz parte.

A reunião contará com um momento expositivo, com falas ministradas pela professora Larissa Mies Bombardi, do Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo, e por Rogério Dias, presidente do Instituto Brasil Orgânico. De acordo com o convite feito pelos coordenadores do fórum, a campanha pretende reafirmar a importância da luta contra o uso de agrotóxicos e “reafirmar que a agroecologia garante comida saudável, preserva a biodiversidade e dignifica o trabalho e a vida”.

De acordo com a nutricionista e servidora da Vigilância Sanitária Estadual Maria Célia Barbosa Farias, coordenadora do Feceagro-RN, o fórum local preparou, para a data, uma articulação junto aos vereadores eleitos, prefeitos, deputados e senadores por meio de cartas que pedem a proibição da pulverização agrotóxicos em aérea urbana, medidas contra a desoneração fiscal dos agrotóxicos e a redução de uso desses insumos. “Essas medidas são passos importantes para limitarmos o uso de agrotóxicos, que vem aumentando a cada ano no Brasil e que causa a contaminação não apenas de alimentos, mas também da água e do ar”, explica.

Dia Internacional de Não ao Uso de Agrotóxicos – A data faz alusão a uma tragédia ocorrida na madrugada do dia 3 de dezembro de 1984, quando 40 toneladas de Isocianato de Metilo (MIC) vazaram de uma fábrica de agrotóxicos da Union Carbide, corporação norteamericana, na cidade de Bhopal, capital de Madhya Pradeshcon, na Índia.

O MIC entrou na corrente sanguínea das pessoas que o inalaram, causando danos aos olhos, pulmões, cérebro, e aos sistemas imunológico, reprodutivo musculoesquelético e outros, assim como à saúde mental. Oito mil pessoas morreram nos 3 primeiros dias, e mais de meio milhão sofreram intoxicações graves.O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Norte faz parte do Feceagro-RN desde 2009 e tem como membro, atualmente, a procuradora Regional do Trabalho Ileana Neiva. O Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos (FNCIAT) é coordenado, atualmente, pelo subprocurador-geral do Trabalho Pedro Serafim.