Com mudanças causadas pela pandemia, natalenses mantêm tradição de homenagens no Dia de Finados

Cemitério do Bom Pastor, em Natal, recebe visitantes nesta segunda (2), Dia de Finados. — Foto: Ayrton Freire/Inter TV Cabugi
Cemitério do Bom Pastor, em Natal, recebe visitantes nesta segunda (2), Dia de Finados. — Foto: Ayrton Freire/Inter TV Cabugi

É dia de lembranças. Algumas pessoas ainda sofrem com suas perdas. Outras, se alegram com as boas memórias deixadas pelos que já se foram. Nesta segunda-feira (2), quando é comemorado o Dia de Finados, os natalenses voltaram aos cemitérios da capital para homenagear seus entes queridos. Algumas tradições, no entanto, foram alteradas por causa da pandemia da covid-19.

As celebrações religiosas, que normalmente são realizadas nos cemitérios públicos da capital, foram canceladas. A Arquidiocese de Natal recomendou a celebração nas igrejas que já retomaram suas programações, além de transmissões pelas redes sociais.

A Prefeitura de Natal também proibiu a venda de artigos religiosos nas proximidades dos cemitérios, mas sem fiscalização, foi possível ver vários comerciantes no entorno.

Na manhã desta segunda (2), a assistente social Roseane do Vale visitou o túmulo do marido, com quem viveu por 35 anos, no cemitério do Bom Pastor. Ele morreu há dois anos, vítima de uma doença respiratória, mas só deixou boas lembranças. “Foi um grande homem. Cuidou de mim e dos nossos dois filhos. Por isso, venho aqui homenageá-lo. Venho todos os meses, inclusive”, contou.

A merendeira Zélia Nascimento aproveitou o feriado para visitar os túmulos da mãe, falecida há 8 anos, do pai, que morreu há 30 anos e da irmã que perdeu 34 anos atrás. “A saudade aperta, e eu me sinto bem em vir, visitar, limpar, orar. É uma dor grande, a de perder alguém, mas precisamos conviver com isso”, diz.

Já o luto da comerciante Jaqueline de Almeida é mais recente. Ela visitou o túmulo da tia, que faleceu há duas semanas, mas também lembrou dos familiares e do marido, assassinado há 13 anos. “Minha tia passou 19 anos lutando. Tinha problemas no coração. Viveu intensamente. Deus levou. Já meu marido foi assassinado há 13 anos. Uma dor enorme. Ainda tenho meu pai, avó, irmão e tio enterrados aqui”, lembra.

Visitas

De acordo com a Prefeitura de Natal, os oito cemitérios públicos da cidade adotaram medidas de segurança sanitária recomendadas pela Secretaria Municipal de Saúde em decorrência da pandemia do Covid-19. O município ainda orientou que os cidadãos começassem as visitações ainda na semana passada, para evitar aglomerações. O horário é das 7h às 17h. É obrigatório o uso de máscara e de álcool em gel.

G1RN

Leave a Comment