Após aglomeração em praias, prefeito de Natal diz que pode ‘fechar tudo’ se população não respeitar isolamento

Pessoas se aglomeraram na orla da Praia de Ponta Negra, em Natal — Foto: Reprodução
Pessoas se aglomeraram na orla da Praia de Ponta Negra, em Natal — Foto: Reprodução

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, usou uma rede social para se manifestar sobre as aglomerações registradas nas praias do Forte e de Ponta Negra no último domingo (19). O chefe do executivo lamentou que parte da população tenha ignorado a pandemia do novo coronavírus e assegurou que vai intensificar a fiscalização nos próximos dias, com a possibilidade de “fechar tudo” caso não haja o cumprimento das medidas de isolamento social.

“Assistimos nesse final de semana, na cidade do Natal, episódios inadmissíveis e inaceitáveis acontecerem. Nós vimos as praias urbanas superlotadas de pessoas sem nenhuma proteção, sem máscaras, sem manter o distanciamento social, aglomerando, possibilitando a contaminação e disseminação do coronavírus”, declarou.

O prefeito garantiu que vai procurar o governo do estado para ampliar a fiscalização em Natal.

“Vou imediatamente mandar um ofício para a governadora do estado (Fátima Bezerra) disponibilizando a Guarda Municipal para que, em conjunto com a Polícia Civil e a Polícia Militar, possamos fazer um controle rigoroso, restritivo, nas praias, no Centro da cidade, onde está liberada a circulação de pessoas, para exigir que todo.

“Se houver necessidade de reprimir com a fiscalização intensa, nós faremos, ou então vamos ter que retroceder, voltar a fechar tudo e manter o isolamento social com rigor. É preciso que todos entendam isso”, falou o prefeito.

Em fotos e vídeos que circularam nas redes sociais, dezenas de pessoas caminhavam pelo calçadão da praia de Ponta Negra, enquanto outros jovens dançavam e consumiam bebidas alcoólicas em um deck.

Álvaro Dias listou as ações da prefeitura no combate à Covid-19, como a instalação do Hospital de Campanha e do centro de atendimento do ginásio Nélio Dias, e lembrou que “nada disso vai servir, vai pôr fim ao coronavírus, se a população não entender que o poder público está fazendo a sua parte, mas eles também têm que fazer a parte deles” (veja o vídeo).

Ele reforçou que “é preciso manter o distanciamento social e continuar higienizando as mãos”. Pediu ainda que “as pessoas que não têm necessidade de sair de casa permaneçam em casa” e que as aglomerações sejam evitadas.

G1RN